Terça, 05 de março de 2013.

Com design moderno, motor mais potente e menor custo de manutenção, novo Renault Master chega ao mercado brasileiro

Sucesso na Europa, onde a Renault é líder de vendas de veículos comerciais há 15 anos, e premiado em vários paises como o melhor veículo utilitário no segmento (furgões com até 3.500 kg de peso bruto total), a nova geração do Novo Renault Master começa a ser produzida e comercializada no Brasil.

Com novo design, menor custo de manutenção, mais conforto, praticidade, robustez e segurança, o Novo Master chega em quatro versões de carroceira (Minibus, Furgão, Chassi-Cabine e Vitré) e em várias opções diferentes em relação ao comprimento e a altura do teto do veiculo, totalizando mais de 70 configurações para atender de pequenos comerciantes a grandes corporações e empresas públicas, inclusive nichos específicos de mercado.

“O segmento de veículos comerciais está ganhando importância cada vez maior dentro da estratégia de crescimento da Renault no país.  O resultado se reflete nos números positivos obtidos pela marca ao longo de 2012, que mostram ganhos de participação e de volume. Crescemos 24,5% com nossos utilitários em relação a 2011 e também ampliamos a estrutura para atendimento aos frotistas e a motoristas profissionais”, avalia Olivier Murguet, presidente da Renault do Brasil.

Da estrutura mencionada pelo executivo, faz parte o Renault Pro+, um inédito sistema de atendimento dirigido a frotistas, prestadores de serviços e a todos aqueles que utilizam o veículo como ferramenta de trabalho. Executado em parceria com concessionárias e destinado a pequenas, médias e grandes empresas, o Renault Pro+ abrange serviços que vão da comercialização ao pós-venda, ou seja, da recepcionista ao mecânico.

 

NOVO DESIGN

A linha 2014 do Novo Master mostra que um veículo concebido para pegar no pesado pode ter um design robusto e atraente. Totalmente novo, o design do furgão da Renault resultara em um veículo moderno, robusto e maior.

O Novo Master tem desenho inspirado em um gorila, para transmitir a sensação de força e imponência, e na chave inglesa em função da sua versatilidade no uso e facilidade de utilização. A grade frontal é formada por três filetes cromados, e o largo para-choque protege a carroceria sem tirar-lhe a beleza. A peça abriga um front step para facilitar o acesso ao motor e também às palhetas do para-brisa. Os faróis são alongados, e o conjunto óptico já engloba as luzes indicativas de direção.

Na traseira, a lanterna mantém o formato vertical, mas apresenta nova disposição das luzes. A placa está posicionada do lado esquerdo, em posição ligeiramente elevada está mais visível. As amplas janelas, de formato assimétrico, facilitam a visibilidade para o motorista. 

Na lateral, marcam presença três sinalizadores luminosos, nas versões de chassi longo. As calotas centrais protegem os parafusos das rodas.

 

MENOR CUSTO DE MANUTENÇÃO

O conjunto mecânico do Novo Master foi pensado para oferecer o menor custo de manutenção da categoria. No motor, a corrente de distribuição foi concebida para durar toda a vida útil do veículo – o modelo anterior usava correia de distribuição (antes,  era necessária a substituição a cada 60.000 km ou 4 anos). O mesmo ocorre com o líquido de arrefecimento, que passa a resistir 160.000 km (ou 6 anos), contra os 120.000 km (4 anos) do antigo modelo.

O intervalo de revisões da linha Master foi ampliado de 15.000 km para 20.000 km, e no utilitário da Renault uma novidade inédita: o sistema OCS (Oil Control System), que  detecta o uso severo do veículo, indicando que uma revisão deve ser antecipada. 

O OCS interpreta como severo o uso do Master abaixo de 30 km/h em mais de 50% do tempo e o uso em marcha lenta por mais de 50% do tempo, situações comuns em engarrafamentos nos grandes centros urbanos e nos trajetos curtos. O dispositivo funciona por meio de um alerta luminoso – que não pode ser desligado – no painel, no mesmo local do marcador de quilometragem. Quando a luz se acende, após terem sido detectadas as condições severas de uso do veículo, o proprietário deve levar o Novo Master para uma concessionária até uma semana após o aviso.

Outra inovação é o GSI (Gear Shift Indicator) que informa através de setas luminosas no painel do veículo, quando o condutor deve reduzir ou aumentar a marcha, com o intuito de auxiliar na economia de combustível. Usado corretamente pode proporcionar uma redução de até 5% no consumo, além de proteger o desgaste prematuro do motor.

 

CONFORTO E PRATICIDADE

No interior do Novo Master também há muitas novidades. O painel totalmente renovado e traz mais informações úteis ao motorista, como temperatura do motor, relógio, OCS e GSI. O modelo recebeu mais porta-copos e porta-objetos onde podem ser guardados com segurança papéis, documentos, garrafas de até dois litros e pranchetas. O porta-luvas tem 7,7 litros de capacidade de armazenamento. O painel passou também a contar com duas tomadas 12V.

A cabine do Novo Master foi pensada para quem passa muitas horas ao volante, por isso a prioridade para o conforto. Encontrar uma boa posição de dirigir é fácil, graças aos ajustes da coluna de direção (altura) e do banco (altura e inclinação de encosto e assento). O volante oferece confortável empunhadura; e a alavanca de câmbio, no painel, está próxima do condutor, o que dá mais conforto e libera mais espaço para circulação na cabine.

O motorista vai levar vantagem também no quesito visibilidade, já que o Novo Master oferece maior amplitude angular no que diz respeito à visão horizontal. São 185,9 graus.

O sistema de áudio by Arkamis (opcional) merece destaque. Produzido pelo mesmo fornecedor do Renault Fluence, o novo rádio executa músicas em CD e em arquivos MP3, além de oferecer entradas USB e auxiliar e conexão Bluetooth. Tudo isso pode ser comandado sem que o motorista tire as mãos do volante, por meio do comando satélite instalado na coluna de direção.

O sistema de ar-condicionado, por sua vez, foi projetado para garantir o bem-estar dos passageiros com distribuição lateral ajustável. A preocupação foi não deixar haver diferença de temperatura no interior do veículo. O equipamento conta com sistema de recirculação, que impede a entrada de ar impuro do exterior, e quatro velocidades de ar.

Os passageiros que viajarem nas versões Minibus Executive ou VIP também sentirão dose extra de conforto. Reposicionados, os bancos guardam maior distância uns dos outros e têm ajuste de inclinação do encosto que chega a 29 graus, 12 graus a mais que o Master anterior. Um corredor central com piso antiderrapante garante acesso mais fácil à última fileira.

Todas as versões ficaram maiores. Com 5,05 metros de comprimento, a versão L1H1 (chassi curto e teto baixo), por exemplo, ficou 16 cm mais comprida. A versão L2H2 (chassi médio e teto alto) ganhou 15 cm está com 5,55 m. Já a L3H2 (chassi longo e teto alto) passa a medir 6,20 m, com um acréscimo de 30 cm.

Também merece destaque a porta deslizante, nas versões de chassi médio e longo, que ficou 17,1 cm mais larga, facilitando, e muito, as operações de carga e descarga.  O vão livre da porta do Novo Master tem 1,27 m, o maior da categoria, e a peça apresenta melhor aderência na canaleta de deslizamento, podendo ser aberta e fechada com menos esforço e mais facilidade.

O bagageiro do Novo Master Minibus tem de 1.000 a 1.700 litros de capacidade (conforme a versão) – o maior bagageiro da categoria. Este amplo espaço foi obtido com a remoção do estepe, que agora está do lado de fora do veículo, logo abaixo das portas traseiras.

Outra alteração está na tampa do combustível que agora tem sistema de inviolabilidade. A mesma só poderá ser acessada com a abertura da porta do motorista, evitando assim furto de combustível.

 

QUALIDADE E ROBUSTEZ

A carroceria, monobloco, foi reforçada visando maior durabilidade em utilização severa.

A suspensão – dianteira (triângulos sobrepostos) com barra estabilizadora, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos e traseira composta por eixo rígido com travessas longitudinais semi-elípticas de lâminas em aço – ficou mais robusta. O novo sistema do batente foi desenvolvido para garantir a estabilidade do veículo carregado e o veículo foi concebido para o uso severo.

Prontas para serem submetidas ao uso intenso, as dobradiças das portas foram reforçadas e as roldanas têm longa vida útil e muitos anos de prestação operacional.

As novas travas de segurança das portas impedem fechamento acidental das mesmas e aumenta a durabilidade do equipamento. Atrás, o sistema de abertura com ângulo de 270º é fácil de manusear, não exige esforço e garante as mãos limpas do usuário, bem longe da graxa.

 

SEGURANÇA

Airbags e freios a disco nas quatro rodas, com sistema ABS agora são itens de série em todas as versões. O Novo Master se apresenta mais eficiente nas frenagens. Em testes feitos pela Renault, a 100 km/h, o modelo precisa de 44 metros para parar, ganhando quatro metros de vantagem sobre seu antecessor.

Outro item de segurança, opcional, é o travamento automático das portas quando 6 km/h.

LINHA COMPLETA PARA TODOS OS PÚBLICOS

Com a chegada da linha 2014, o Novo Master passa a contar com 12 versões e 10 opções de transformações, totalizando mais de 70 opções.

As versões são as seguintes:

  • Master Chassi-Cabine

  • Master Furgão L1H1 (chassi curto-teto baixo)

  • Master Grand Furgão L2H2 (chassi médio-teto alto)

  • Master Extra Furgão L3H2 (chassi longo-teto alto)

  • Master Vitré L1H1 (chassi curto-teto baixo)

  • Master Grand Vitré L2H2 (chassi médio-teto alto)

  • Master Extra Vitré L3H2 (chassi longo-teto alto)

  • Master Escolar L2H2 20 lugares (chassi médio-teto alto)

  • Master Minibus Standard L2H2 16 lugares (chassi médio-teto alto)

  • Master Minibus Standard L3H2 16 lugares (chassi longo-teto alto)

  • Master Minibus Executive L3H2 16 lugares (chassi longo-teto alto)

  • Master Minibus VIP L3H2 16 lugares (chassi longo-teto alto)

  • Ambulância Simples Remoção L1H1 (chassi curto-teto baixo)

  • Ambulância Simples Remoção L2H2 (chassi médio-teto alto)

  • Ambulância Simples Remoção L3H2 (chassi longo-teto alto)

  • Ambulância UTI L2H2 (chassi médio-teto alto)

  • Ambulância UTI L3H2 (chassi longo-teto alto)

* Conforme nomenclatura adotada pela Renault, H refere-se à altura do teto (H1 = teto baixo e H2 = teto alto). Já a letra L diz respeito ao comprimento (L1 = chassi curto, L2 = chassi médio e L3 = chassi longo). 

 Independentemente da versão ou da configuração, o Novo Master sai de fábrica com direção hidráulica de série, além de ar quente, hodômetros digitais total e parcial, banco do motorista com regulagem de altura e inclinação, bloqueio de ignição por transponder, alerta sonoro de luzes acesas, faixa de proteção lateral na cor preta, relógio digital e farol com regulagem de altura, recurso importante para a segurança no trânsito em se tratando de veículos que trafegam ora carregados, ora vazios.

Os opcionais variam conforme a versão. Estão disponíveis itens como vidros e travas elétricos, ajuste interno elétrico dos retrovisores, ar-condicionado, computador de bordo e faróis de neblina (itens em série conforme a versão). É possível também, conforme a configuração, adicionar divisória de carga e portas com abertura de 270 graus.

Entre as opções disponíveis de cores estão duas sólidas (Branco Glacier e Vermelho Vivo) e três metálicas (Cinza Acier, Prata Etoile e Preto Nacré). 

 

UM MASTER PARA CADA NECESSIDADE

Com a experiência de quem é líder no mercado europeu de veículos transformados, a Renault do Brasil é a marca que mais opções oferece aos consumidores brasileiros. De acordo com a necessidade específica do cliente, o Novo Master pode virar, por exemplo, uma ambulância de resgate; uma van para o transporte de portadores de necessidades especiais; uma van de turismo para passageiros VIPs, DVD de teto, tomada 110 volts e porta pacotes; um furgão isotérmico (que mantém a temperatura interna do compartimento de carga por mais tempo), ou até mesmo um pet shop, oficina móvel, lanchonete ambulante... Todos os clientes encontrarão no Novo Master a melhor solução para seu negócio.

Atualmente, 25% das vendas do Master são de modelos transformados. Entre os que têm maior procura estão os destinados a uso hospitalar e a linha executiva. Os projetos são desenvolvidos pelos fornecedores validados pela Renault do Brasil, o que garante a segurança e a qualidade dos produtos.

Outro diferencial é a facilidade na hora de realizar o financiamento, já que o cliente fatura o veículo completo, evitando a realização de dois financiamentos e/ou negociação distintas – o do carro e o da adaptação. Essa vantagem, porém, vale apenas para transformações garantidas pela Renault.

Ainda na estratégia de crescimento e de facilitar a compra pelos clientes, a Renault também certifica os melhores transformadores do Brasil, para que produzam veículos de qualidade para os clientes da marca, através de um contrato celebrado entre transformador e montadora, válido por 3 anos e renovável, conforme a manutenção da qualidade do produto e serviços oferecidos pelos transformadores.  Nesse contrato a Renault garante o veículo de base e o transformador garante a sua transformação.

 

NOVO MOTOR

O novo turbodiesel 2.3 litros de quatro cilindros que estreia na linha 2014 é 15 cavalos mais potente e gera 2,04 kgfm a mais de torque. A máquina desenvolve 130 cavalos (3.500 rpm) e esbanja força, com 31,6 kgfm (1.500 rpm). Assim, mesmo com a lotação máxima, o Novo Master apresenta desempenho satisfatório, com arrancadas rápidas e retomadas seguras. Equivale dizer, mais facilidade nas ultrapassagens.

“Nosso objetivo desde o início do desenvolvimento do projeto era obter melhorias de performance sem prejudicar os níveis de emissões que alcançamos com o atual motor, que já respeita a  norma Proconve L6. O novo motor M9T 2.3 dCi, respeita plenamente a norma vigente e, mesmo com odownsizing do motor, de 2.5l para 2.3l, conseguimos melhor desempenho, potência e torque. Esta evolução também permitiu a redução de 92% de emissões de material particulado em relação ao motor anterior, G9U, que já era referência em baixas emissões”, explica o engenheiro Antônio Fleischmann, da Renault do Brasil.

A linha 2014 chega às concessionárias com mudanças no conjunto mecânico, que inclui um novo motor, o M9T 2.3 dCi, também compromissado com o meio ambiente, sem perda de desempenho.

O motor M9T funciona com o sistema Common Rail (duto comum). Conforme o próprio nome indica, a bomba envia o combustível, em alta pressão, para um único duto ligado aos quatro bicos injetores. A vazão de combustível (tempo e ponto de injeção) é comandada eletronicamente pelo calculador do motor, reduzindo o consumo de diesel e a emissão de poluentes.

Este motor é leve, graças principalmente à adoção de cabeçote de alumínio, onde estão dois comandos de válvula (DOHC - um para as válvulas de admissão e outro para as de escape). Além disso, o conjunto tem tuchos hidráulicos e balancins roletados, que diminuem significativamente os atritos internos. 

A exemplo do que acontece na linha de veículos de passeio da Renault, o Master também é dotado de acelerador eletrônico. Com a ajuda de sensores, a aceleração do veículo é feita de forma mais ágil e suave, e com melhor dirigibilidade.

Em relação ao seu antecessor, o motor M9T apresenta diminuição da taxa de compressão e cilindros dos pistões mais largos. Além disso, o propulsor, que trabalha com temperatura de água e óleo inferior à dos motores de automóveis de passeio, funciona com menor pressão nos cilindros (150 bar).

O propulsor trabalha em conjunto com um câmbio de seis marchas, com acionamento por cabo e alavanca instalada no painel. O escalonamento foi feito para privilegiar o torque. A sexta marcha, usada principalmente em estrada, garante boa velocidade final.

 

RENAULT PRO+

Uma das grandes vantagens oferecidas pela Renault em relação a sua linha de utilitários é o programa “Renault Pro+”, que acena com tratamento especializado com foco nos comerciais leves da marca, incluindo desde a consultoria no momento da compra até a manutenção programada. 

O “Renault Pro+” é formado por uma rede de concessionárias credenciadas em todo o território nacional, com área específica, dedicada exclusivamente à exposição e à manutenção de veículos utilitários.

Com base em pesquisa com clientes profissionais tanto da Renault quanto de outras marcas concorrentes, foram extraídas as principais necessidades deste tipo de público e então traduzidas em 12 metas que são monitoradas constantemente pela montadora junto à rede de concessionárias. Assim, existe a garantia de que o “Renault Pro+” sempre vai oferecer:

1. Área exclusiva para empresas e clientes profissionais;

2. Equipe especializada em utilitários, taxistas e pessoas com deficiência;

3. Ampla exposição de veículos utilitários;

4. Test-drive em veículos de passeio e utilitários;

5. Proposta de utilitários ou transformados em até 48h;

6. Apresentação de um técnico da oficina na entrega do veículo;

7. Acesso gratuito à internet;

8. Manutenção de utilitários de até 5 toneladas

9. Oficina com atendimento prioritário para taxistas e clientes profissionais;

10. Revisões programadas no manual com entrega em 24h;

11. Lavagem de cortesia para carros com passagem pela oficina;

12. Prática de custos de manutenção competitivos, conforme a revisão preço fechado.

A intenção da marca é chegar a 53 concessionárias com o programa “Renault Pro+” em 2013, o que garantirá uma cobertura de quase 90% do mercado de atuação da Renault.

 

GERENCIAMENTO DE FROTA

Aos clientes pessoas jurídicas a Renault oferece mais uma comodidade: o “Solução Renault Pro+”, que permite ao consumidor alugar um veículo diretamente da fábrica, com um custo mensal acessível, já incluindo manutenção preventiva, seguro, documentação completa (IPVA, Licenciamento e Emplacamento) e assistência 24 horas.

O “Solução Renault Pro+” é dedicado a pequenas empresas que não querem imobilizar recursos na aquisição de um veículo ou arcar com custos de mão-de-obra para o gerenciamento e manutenção da frota. São oferecidos contratos de locação de veículos com planos de vão de 24 a 48 meses.

Redução de custos; previsibilidade de gastos com a frota e eliminação de riscos relacionados à desvalorização do veículo na revenda são algumas das vantagens do programa, já existente em vários mercados da Europa, como a França, por exemplo.

Toda a linha Renault à venda no mercado nacional faz parte do programa, inclusive os utilitários Novo Master e Kangoo Express; e o serviço pode ser adquirido em qualquer uma das mais de 200 concessionárias da marca em todo o País.

 

MERCADO

Lançado no Brasil em 2002, o Master construiu desde então uma trajetória de sucesso no mercado nacional de furgões leves. Em 2012, foram 8.662 unidades emplacadas, um volume 17% superior ao registrado em 2011, em um segmento que registrou retração de 12%. Hoje, dez anos após seu lançamento no país, o veículo da Renault é o segundo colocado no seu segmento (furgões com até 3.500 kg de peso bruto total) na América do Sul e no Brasil.

Motivos para se acreditar na continuidade do sucesso não faltam. O Novo Renault Master foi muito bem recebido na Europa, além disso, como ressalta o diretor de Marketing da Renault do Brasil, Fréderic Posez, a linha de comerciais leves da Renault já foi reconhecida pelos brasileiros por possuir um baixo custo por quilômetro rodado, ampla rede de concessionárias e baixo valor de manutenção.

“São características que ganham relevância ainda maior em se tratando de veículos utilizados para o trabalho. No Brasil o Renault Master é uma das referências no segmento, o que gera confiança na compra e um ótimo valor residual na revenda”, afirma o executivo, lembrando que os furgões médios respondem por 7% das vendas do mercado de utilitários de leves.

Para atender aos profissionais do segmento, a Renault desenvolveu o programa Renault Pro+. Em 2012, a Renault ampliou sua rede, nomeando 25 novas concessionárias integrantes do projeto, cumprindo parte da meta de chegar a abril de 2013 com um total de 53 participantes.

Produzido na Fábrica de Veículos Utilitários, que integra o Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR), o novo Renault Master será, em breve, comercializado em outros países do Mercosul e da América Latina.

A planta paranaense foi a primeira unidade fabril compartilhada pela Aliança Renault-Nissan a entrar em operação no mundo. Nestes 11 anos de história, a unidade industrial já produziu mais de 200 mil veículos das duas marcas.

Fotos Relacionadas

Vídeos Relacionados

Releases Relacionados