Terça, 08 de novembro de 2005.

Personalidade mais marcante e motor 1.0 16V Hi-Flex são os principais destaques da Nova Linha 2006 do Clio

A partir deste mês, a Renault do Brasil inicia a comercialização da Nova Linha 2006 dos modelos Clio e Clio Sedan, que chegam ao mercado com evoluções importantes. Na parte mecânica, o destaque fica por conta do novo motor 1.0 16V Hi-Flex, segundo propulsor da Renault a valer-se das vantagens da tecnologia bicombustível. A Nova Linha 2006 do Clio também traz mudanças tanto no seu desenho externo como no interior. Essas inovações dão ao veículo uma personalidade mais marcante e vão ao encontro dos desejos dos seus consumidores.

De acordo com Christian Pouillaude, Vice-presidente Comercial da Renault do Brasil, as novidades que a marca incorporou na Nova Linha 2006 dos modelos Clio e Clio Sedan ampliaram ainda mais o conforto e a relação custo/benefício de ambos os veículos. “Nosso objetivo não era apenas apresentar uma nova evolução do Clio. Queríamos um modelo revigorado, cuja alterações realizadas reforçassem a modernidade e a robustez dos modelos Clio e Clio Sedan. Acho que conseguimos isso com a Nova Linha 2006 do Clio”, declara o executivo.

Entre as mudanças promovidas na Nova linha Clio/Clio Sedan 2006, a que mais se destaca é a introdução do motor 1.0 16V Hi-Flex, primeiro propulsor brasileiro de 1.0 litro 16 válvulas a contar com as vantagens e benefícios desta tecnologia.

O novo 1.0 16V Hi-Flex, segundo motor produzido pela Renault do Brasil movido a álcool e/ou gasolina, desenvolve 77 cv de potência abastecido com álcool (76 cv a gasolina) e torque máximo de 10,2 mkgf (álcool) contra 10 mkgf da versão movida a gasolina. Esses números credenciam o novo motor 1.0 16V Hi-Flex como o propulsor 1.0 litro aspirado com o maior torque do seu segmento. Além disso, o 1.0 16V Hi-Flex proporciona aos modelos Clio e Clio Sedan, o melhor desempenho dentro da sua categoria.

A exemplo do motor 1.6 16V Hi-Flex, o novo bicombustível da Renault também funciona com qualquer tipo de gasolina, independente da proporção de álcool adicionado à sua fórmula (a gasolina brasileira – E24 - possui 24% de álcool, enquanto os demais países do Mercosul utilizam gasolina E0, sem álcool). Com isso, o cliente pode abastecer com gasolina de qualquer posto do Mercosul, sem que o combustível utilizado prejudique a performance e/ou desempenho do veículo.

As mudanças realizadas pela Renault na Nova Linha 2006 do Clio não se resumiram apenas à parte mecânica. O desenho externo também passou por importantes evoluções.

Tanto a versão hatch como a sedã passaram a contar com novos pára-choques dianteiros e traseiros, pintados na mesma cor da carroceria. Com a adoção desses novos pára-choques, as duas opções de carroceria do Clio tiveram as suas dimensões externas ampliadas em quatro centímetros. No hatch (2 e 4 portas), o comprimento passou de 3.773 mm para 3.817 mm, o mesmo acontecendo com a versão Sedan, que agora tem 4.191 mm contra 4.150 mm do modelo anterior.

O desenho da tampa do porta-malas na carroceria hatch também passou por uma significativa alteração. A partir de agora, ela conta com um vinco em forma de “V” aberto em sua parte central, que se prolonga de um lado a outro da peça, na altura da luz indicadora de direção. Com isso, o Clio hatch ganha uma aparência mais moderna e esportiva.

Por conta dessa alteração na tampa traseira, a exemplo do que já ocorre no Clio Sedan, o pára-choque traseiro da versão hatch passa a incorporar a fixação e a iluminação da placa traseira.

A Renault do Brasil também alterou profundamente o interior do habitáculo dos modelos que compõem a Nova Linha Clio 2006, visando ampliar os níveis de conforto e ergonomia. O desenho dos revestimentos internos das portas dos modelos Clio hatch 4 portas e Clio Sedan, por exemplo, é inteiramente novo e passa a incorporar os comandos de acionamento dos vidros elétricos dianteiros, que estão instalados acima dos alto-falantes, próximo à alavanca de abertura interna da porta. Com essa alteração, a Renault do Brasil atende a uma solicitação de seus clientes, melhorando o conforto e a ergonomia do veículo.

A parte superior do painel de instrumentos, confeccionada na cor preta, é inteiramente nova. Além de possuir um desenho envolvente, esta nova peça é produzida em um material plástico bastante agradável ao toque. Uma característica importante desse novo item é o fato dele acompanhar os novos desenhos dos mostradores do quadro de instrumentos, formando uma espécie de moldura e realçando a importância das informações apresentadas por estes ao motorista.

Outra novidade é a adoção de um novo volante de três raios, igual ao utilizado pela Renault no Clio comercializado na Europa, para as versões equipadas com air bag. 

Mercado

A Nova Linha 2006 do Clio competirá no segmento de carros pequenos, que no acumulado de vendas deste ano (janeiro a setembro) representou 84% do mercado brasileiro de automóveis de passeio, com cerca de 935 mil unidades. Os principais concorrentes da Nova Linha 2006 do Clio/Clio Sedan serão Peugeot 206, Ford Fiesta/Fiesta Sedan, Fiat Palio/Siena, Volkswagen Gol, Volkswagen Fox, Volkswagen Polo/Polo Sedan, Citroën C3 e Chevrolet Corsa/Corsa Sedan.

Com o lançamento da Nova Linha 2006 do Clio, a Renault tem como objetivo comercializar 3.000 unidades por mês do modelo, sendo que desse total 1.650 serão de carroceria hatch e 1.350 de sedã.

Segundo Christian Pouillaude, cerca de 52% (18.700 unidades) das vendas totais da Nova Linha Clio em 2006 deverão ser dos modelos equipados com o novo motor 1.0 16V Hi-Flex.

Releases Relacionados