Sexta, 16 de outubro de 2015.

Renault e.dams no aquecimento para a segunda temporada da Fórmula E

Na primeira edição da competição a Renault se sagrou vitoriosa entre as equipes. Agora é ideia é voltar ainda mais forte com um novo motor desenvolvido pela Renault Sport F1.

CONTANDO COM O TÍTULO DE EQUIPES DO PRIMEIRÍSSIMO CAMPEONATO DE FÓRMULA E EM 2014/2015, A RENAULT E.DAMS RECOMEÇA A CAMPANHA DA 2ª TEMPORADA PARA 2015/2016 COM O OBJETIVO DE CONQUISTAR OS TÍTULOS DE PILOTOS E EQUIPES, PARA COROAR DE SUCESSOS UMA PARCERIA AGORA AINDA MAIS FORTE COM A RENAULT E O FORNECIMENTO DE UM NOVO GRUPO MOTOR, DESENVOLVIDO COM EXCLUSIVIDADE PELA RENAULT SPORT F1 PARA A EQUIPE.

ALAIN PROST
“Acho que estamos começando a nova temporada da Fórmula E sobre boas bases. Mesmo assim, todo mundo deverá continuar melhorando, tanto em termos de performance como de organização e na categoria. A primeira campanha serviu naturalmente de aprendizado para todas as escuderias, que conheceram um monoposto inédito. A nova temporada promete ser bastante disputada e exigente, principalmente com a introdução de novas tecnologias de ponta. Hoje é difícil saber onde seremos mais ou menos performantes. Nestas condições, a regularidade desempenhará um papel determinante. A ampla experiência da Renault constitui um grande trunfo e eu tenho convicção de que podemos ambicionar a vitória nos dois campeonatos desta temporada.”

JEAN PAUL DRIOT
“Neste ano, teremos imperativamente que aumentar nosso nível na competição, pois todos os nossos rivais progrediram e parecem estar bastante competitivos. Mas estou bastante confiante após nossas sessões de testes em Donington. Nosso grupo motopropulsor se beneficia do inegável know-how da Renault, assim como sua grande experiência na propulsão elétrica: já pudemos avaliar que a performance está à altura de nossas expectativas durante estes testes de pré-temporada. Por outro lado, devemos nos manter bastante concentrados. Mesmo tendo nos consagrado como a melhor equipe durante a temporada inicial, agora temos que explorar nossas capacidades e ir além de nossos limites.”

CYRIL ABITEBOUL
DIRETOR GERAL DA RENAULT SPORT F1
“A Renault sempre favoreceu a inovação no automobilismo esportivo de alto nível. Nossa fábrica de Viry-Châtillon produziu algumas das tecnologias mais memoráveis e performantes já vistas em pista, dos primeiríssimos motores turbo na Fórmula 1 nos anos 1970 aos blocos V10 e V8 que dominaram a categoria nestas duas últimas décadas. No lançamento desta segunda temporada da Fórmula E, a expertise e a experiência de Viry servirão a um único objetivo: perpetuar o espírito de pioneirismo e inovação da Renault, e conhecer o mesmo sucesso que nas outras categorias.”


• A EQUIPE

GESTÃO

Quando foi anunciado o lançamento da Fórmula E, dois dos mais ilustres players do automobilismo esportivo francês decidiram se lançar na aventura. Alain Prost, tetracampeão do mundo de Fórmula 1, e Jean-Paul Driot, fundador da célebre escuderia DAMS, se associaram para criar uma nova estrutura em Le Mans destinada a participar do campeonato 100% elétrico, o Campeonato FIA de FÓRMULA E. O projeto rapidamente recebeu o apoio da Renault, gigante francês da indústria automobilística e, assim, nascia a Renault e.dams.

Com 51 vitórias e 106 pódios, Alain Prost é reconhecido como um dos maiores pilotos de Fórmula 1 da história, e seu duelo lendário com Ayrton Senna faz parte da memória coletiva da categoria. Mas as façanhas do francês não são apenas resultado de sua inegável velocidade ao volante. Inúmeros sucessos de Prost se devem à sua incomparável ciência da corrida.

Sua estratégia refletida da competição e sua atenção aos mínimos detalhes fizeram com que ele fosse apelidado de “Professor”. Agora, Prost dedica suas qualidades e notoriedade como embaixador da Renault ao sucesso da Renault e.dams na Fórmula E.

No comando da escuderia DAMS desde sua criação, em 1988, Jean-Paul Driot levou a escuderia a um grande número de títulos internacionais, principalmente no campeonato GP2 Series, assim como na F3000 que o precedeu, e também na Fórmula Renault 3.5. Ele espera agora encontrar o mesmo sucesso na GP3 Series após ter anunciado que a DAMS participará deste campeonato de alto nível a partir de 2016. Entretanto, seu maior sucesso talvez seja ter descoberto e formado muitos jovens talentos, tendo desempenhado um papel principal no percurso de vários deles, fornecendo o suporte e as competências da DAMS, além de seu apoio pessoal. Nestes últimos anos, ele acompanhou pilotos do calibre de Romain Grosjean, Kevin Magnussen e Carlos Sainz no percurso que os levou à Fórmula 1.

Quando teve a oportunidade de participar do novo Campeonato FIA de Fórmula E, Alain Prost e Jean-Paul Driot imediatamente decidiram unir suas forças para participar desta competição 100% elétrica e revolucionária.

Os dois sócios da Renault e.dams compartilham a mesma paixão pela corrida, ao mesmo tempo em que se mantêm plenamente conscientes dos desafios que a categoria deve enfrentar em matéria de meio ambiente e desenvolvimento sustentável. E foram justamente estes valores que atraíram a participação da Renault. Líder em mobilidade 100% elétrica com sua gama Z.E., a montadora rapidamente percebeu o potencial da Fórmula E, vitrine ideal para exibir sua expertise em todo o mundo. Envolvida tanto no plano técnico como esportivo durante a temporada inaugural, a marca do Losango fortalece seu compromisso neste ano ao fornecer um novíssimo grupo motopropulsor Z.E. 15, desenvolvido pela Renault Sport F1 em Viry-Châtillon.

Com players de renome como Prost, Driot e Renault, a Fórmula E dispõe de grandes diferenciais para promover um novo tipo de automobilismo esportivo e incentivar o desenvolvimento de soluções inovadoras e aplicáveis aos carros do amanhã.


ALAIN PROST
 “Ganhar o primeiríssimo título de Equipes da história da Fórmula E nos proporciona sólidas bases no início desta nova temporada. Temos engenheiros competentes e uma dupla de pilotos talentosos. Contando igualmente com um envolvimento ainda maior da Renault ao nosso lado neste ano, pretendemos continuar em uma dinâmica de sucesso na Fórmula E. Vamos começar a campanha 2015/2016 com serenidade, mas sem excesso de confiança.”

JEAN-PAUL DRIOT
 “Conquistar o campeonato de Equipes exigiu um bom conhecimento do automobilismo esportivo, uma organização sólida e uma equipe competente. Contando com este primeiro título, estamos felizes ao ver a Renault participar de forma ainda mais intensa ao nosso lado na Fórmula E. Com seu know-how técnico e após uma primeira temporada bem sucedida, o objetivo é naturalmente fazer a dobradinha em 2015/2016.”

CYRIL ABITEBOUL
DIRETOR GERAL DA RENAULT SPORT F1
 “Perpetuar o espírito de pioneirismo e inovação da Renault e ter o mesmo sucesso que nas outras categorias depende de uma sinergia de nosso savoir-faire. Ao desenvolver nossa Unidade de Potência da F1, adquirimos competências em matéria de sistemas elétricos que só precisam ser aprofundadas na Fórmula E. Assim, poderemos mostrar o máximo potencial da Renault através de todos os programas de competição.”


OS PILOTOS

NICO PROST

Nascido na cidade francesa de Saint-Chamond, Nicolas Prost (34 anos) tem uma carreira bastante rica e eclética, marcada por experiências nas melhores categorias mundiais, tanto em monopostos como em protótipos esportivos.

Privilegiando os estudos em um primeiro momento, Prost se formou pela universidade americana Columbia de Nova Iorque, antes de se lançar na Fórmula Campus durante a temporada de 2003. Ele compete novamente na categoria no ano seguinte, correndo depois na Fórmula Renault 2.0 com a escuderia Graff Racing. Em 2006, Nicolas ingressa na Racing Engineering e se destaca com uma vitória e seis outros pódios, fazendo com que ele terminasse como o melhor “novato” do campeonato de Fórmula 3 espanhol.

Em 2008, Prost é promovido para as Euroseries 3000, conquistando o título ao apresentar uma regularidade exemplar ao longo das 16 pernas da temporada. Uma qualidade que se revelará essencial um ano mais tarde, quando ele passou para a Endurance, categoria onde a constância desempenha um papel tão importante como a velocidade pura.

Ao passar para a escuderia anglo-suíça Rebellion Racing, Prost participou sete vezes das célebres 24 Horas de Le Mans, tendo como melhores resultados dois quartos lugares na classificação geral conquistados em 2012 e 2014. Ele também brilhou no Campeonato Mundial da FIA de Endurance, na Le Mans Series e na Intercontinental Le Mans Cup.

Entre 2012 e 2013, Nicolas associa seu engajamento em protótipos, como piloto reserva da escuderia Lotus-Renault na Fórmula Um. Neste sentido, ele faz um trabalho de desenvolvimento intenso, principalmente a bordo dos chassis que conquistaram os Grandes Prêmios de Abu Dhabi de 2012 e da Austrália de 2013.

Com uma atuação bastante dinâmica, Prost ingressa na escuderia Renault e.dams para participar da temporada inaugural do Campeonato FIA de Fórmula E, cujo lançamento acontece em Pequim, em 13 de setembro de 2014. Autor da primeiríssima pole position na história da categoria, Nicolas conquista consecutivamente uma segunda pole, um mês mais tarde, na Malásia. O francês termina em segundo em Buenos Aires, antes de conquistar o ePrix de Miami e fazer a melhor volta da corrida em Long Beach, logo em seguida.

Único piloto a ter marcado pontos durante as 11 pernas da temporada inaugural da Fórmula E, Nicolas ingressa na nova temporada com a vontade de mostrar toda sua garra.

“É muito bom poder continuar com a Renault e.dams nesta segunda temporada do Campeonato FIA de Fórmula E. A estabilidade é um elemento essencial em toda escuderia. Todo mundo se conhece muito bem e é muito mais fácil trabalhar com as mesmas pessoas na mesma estrutura. Estou ansioso para ver o que somos capazes de alcançar neste ano com o novo propulsor Renault, principalmente após ver os resultados promissores dos primeiros testes.”


SÉBASTIEN BUEMI

Com 26 anos recém-completados, Sébastien Buemi já apresenta uma fantástica lista de premiações e brilha nas categorias máximas do automobilismo esportivo, tanto em monopostos como em protótipos. O suíço começou em provas de karting aos oito anos de idade, antes de ascender rapidamente aos degraus do automobilismo esportivo europeu. Em 2004, a Red Bull incluiu Sébastien em seu programa para jovens pilotos, após seus primeiros sucessos na Fórmula BMW.

Buemi segue uma bela dinâmica na Eurocup Fórmula Renault 2.0, onde ele obtém uma vitória, seguida da A1GP e Fórmula 3. Depois, ingressa nas GP2 Series, considerada oficialmente a última etapa antes da Fórmula Um. No início de 2009, a Escuderia Toro Rosso confirma seu nome como piloto oficial para a temporada seguinte da Fórmula 1. O suíço não demora a impressionar, marcando os primeiros pontos a partir de seu início em Melbourne.

Sébastien disputa três temporadas completas com a escuderia italiana, tendo também feito a largada em 55 Grandes Prêmios. Neste ano, ele ocupa o papel de piloto reserva oficial da escuderia Red Bull Racing, pela quinta temporada consecutiva.

Em 2012, Sébastien participa de suas primeiras 24 Horas de Le Mans, apoiando Anthony Davidson e Stéphane Sarrazin na Toyota. No ano seguinte, ele continua com a escuderia japonesa e faz uma temporada completa no Campeonato Mundial da FIA de Endurance. Em 2014, Buemi e Davidson conquistam quatro vitórias e sete pódios em oito corridas, conquistando o título de Pilotos do WEC.

Bastante polivalente, Sébastien é posteriormente confirmado na Renault e.dams, para participar do primeiríssimo Campeonato FIA de Fórmula E da história. Com três vitórias, várias pole positions, dois outros pódios e uma melhor volta da corrida, Buemi é um dos grandes nomes da temporada inaugural, terminando com o título de vice-campeão. O suíço tentará subir ao último degrau do pódio a partir deste ano, ao mesmo tempo em que ajudará a Renault e.dams a manter sua coroa no campeonato de Equipes.

“Para mim, é um grande prazer continuar a aventura na Fórmula E com toda a equipe Renault e.dams: existe um excelente ambiente e nos entendemos muito bem em meio à equipe. A estrutura está um pouco maior nesta temporada, mas receber o apoio de uma montadora fortalece ainda mais a escuderia. Ficamos ainda mais confiantes após nossas belas performances nos testes oficiais, mesma é ainda muito cedo para fazer prognósticos. Que venha o início da temporada!”

• RENAULT ACEITA O DESAFIO DA FÓRMULA E
 

A RENAULT NA VANGUARDA
DO AUTOMOBILISMO ESPORTIVO 100% ELÉTRICO


DAS PISTAS PARA AS RUAS
NOSSO COMPROMISSO NA FÓRMULA E: ACELERAR OS DESENVOLVIMENTOS TÉCNICOS PARA NOSSA GAMA DE VEÍCULOS ELÉTRICOS

Pioneira em veículos 100% elétricos com a gama Z.E. e seus modelos emblemáticos, como ZOE e TWIZY, a Renault é também um player imprescindível no automobilismo esportivo, com uma lista de premiações inigualável para uma montadora geralista. Contando com uma dose dupla de expertises, a Renault incentiva o nascimento de uma nova forma de prova automobilística, mais acessível e que respeite mais o meio ambiente.

A partir da concorrência lançada pela FIA em 2011 para a organização de um campeonato 100% elétrico, a marca do Losango imediatamente percebeu o potencial desta nova categoria. Disputada no centro de cidades do mundo todo, este campeonato faz parte da estratégia ambiental do grupo Renault. Fiel à sua natureza de precursora, a montadora francesa aproveita assim esta vitrine mundial para demonstrar seu know-how em matéria de tecnologia elétrica. A inovação e o gosto pelo desafio fazem parte integrante do DNA da Renault, e por isso seria natural que a montadora apoiasse o projeto de Alain Prost e Jean-Paul Driot para a criação de uma equipe francesa no primeiro campeonato mundial de carros de corrida 100% elétricos.

A partir de 2014, a Renault contribuiu diretamente para o nascimento do Campeonato FIA de Fórmula E, através de um duplo compromisso – técnico e esportivo:

• Compromisso técnico, como arquiteta de todos os monopostos modelo Spark Renault SRT_01E de 200 kW, cuja integração dos sistemas, conformidade em termos de segurança e otimização da performance foram supervisionados pelos engenheiros da Renault Sport Technologies.
• Compromisso esportivo, como parceira da escuderia Renault e.dams fundada por Jean-Paul Driot e Alain Prost, que conquistou o primeiro título de escuderias da história da Fórmula E ao final da temporada 2014/2015.

Através deste duplo compromisso, a Renault demonstra sua vontade de acelerar os progressos tecnológicos do veículo 100% elétrico, melhorando as performances dos motores e a autonomia das baterias.

No alvorecer da temporada 2015/2016, a Renault fortalece seu compromisso esportivo com a escuderia Renault e.dams que é a atual campeã, desenvolvendo seu próprio grupo motopropulsor. Assim, a Renault coloca sua expertise técnica exclusivamente a serviço da escuderia Renault e.dams, que está determinada a ter um papel de destaque, com a ambição de chegar à dobradinha Escuderias/Pilotos na 2ª temporada. Estes tecnologias de ponta, desenvolvidas pelas equipes da Renault Sport, poderão também beneficiar direta ou indiretamente os veículos de produção em série da gama Z.E.

A RENAULT E O AUTOMOBILISMO ESPORTIVO – MAIS DE UM SÉCULO DE DESAFIOS E INOVAÇÃO

Desde a primeira vitória durante a corrida Paris-Trouville em 1899 aos doze títulos de campeão do mundo dos construtores na Fórmula 1, passando pelo rali, endurance e fórmulas de promoção, a Renault é um player imprescindível no automobilismo esportivo há quase 120 anos. Para a Renault, o automobilismo esportivo representa uma formidável oportunidade de desenvolver tecnologias de ponta e, sempre que possível, construir pontes de inovação entre as competições e os veículos de produção em série. O esporte também é um fator emocional de alavancagem da notoriedade e da imagem, reunindo o público, clientes e colaboradores do grupo sob o signo da paixão e da excelência. A Fórmula 1 visita aproximadamente vinte países em cinco continentes. Já a Fórmula E é levada ao coração de cidades emblemáticas. As fórmulas de promoção permitiram a eclosão de grandes pilotos de ontem e de hoje, como Jacques Lafitte, Alain Prost, Kimi Räikkönen, Lewis Hamilton, Sebastian Vettel, Romain Grosjean, Daniel Ricciardo e Carlos Sainz.

A partir da criação da empresa, em 1898, Louis Renault se conscientizou da importância do automobilismo esportivo para desenvolver a imagem de sua marca. A competição se tornou assim o grande palco de exposição dos carros da Renault, que conquistaram no início do século XX uma série de vitórias em grandes prêmios. O início da Primeira Guerra Mundial provocou uma interrupção da competição na Europa, mas a Renault não ficou distante do automobilismo esportivo por muito tempo. Os anos 20 foram marcados pelo domínio do impressionante Renault 40CV, que conquistou sua primeira vitória no Rali Monte Carlo em 1925, destacando-se ao bater vários recordes de velocidade em circuito.

Após a Segunda Guerra Mundial, a Renault foca suas atividades de produção em modelos mais compactos de pequena cilindrada. Mas isso não impede a marca de continuar a se destacar no cenário esportivo, conquistando novos prêmios. O 4CV atinge um franco sucesso em competições, assim como o Dauphine que o sucede.

Mas foi mesmo o R8 Gordini que permitiu que a Renault ingressasse em uma nova dimensão e atingisse o mais alto grau do automobilismo esportivo. Em 1958, Amédée Gordini é contratado para desenvolver carros de competição. Uma de suas criações, o mítico Renault 8 Gordini, se tornaria um símbolo de sucesso para toda uma geração de pilotos, que se destacaram tanto em ralis como em corridas de montanha e em circuitos. Em 1966, a primeira Copa Renault 8 Gordini prenunciava a criação de campeonatos monomarcas. Uma nova fábrica era erguida em Viry-Châtillon, em fevereiro de 1969. É no coração desta planta que seriam construídos os sucessos da Renault no automobilismo esportivo nas décadas seguintes. O primeiro campeonato francês de Fórmula Renault aconteceu em 1971, com os primeiros carros que utilizavam o motor do Renault 12 Gordini.


Em 1973, a Renault se tornou acionista majoritária de uma pequena montadora francesa, com a qual a marca mantinha ligações há vários anos: a Alpine. 1973 se revelaria como um ano promissor para a marca, quando o Alpine A110 “Berlinette” conquistou o primeiro Campeonato do Mundo de Ralis.

Na mesma época, as equipes de Viry-Châtillon se concentravam no desenvolvimento de um motor V6 de 2 litros, revelado oficialmente em janeiro de 1973. O bloco se revela rapidamente competitivo no prestigioso Campeonato da Europa de Carros Esportivos de 2 litros e a Renault trabalhou no desenvolvimento de uma versão turbo deste motor.

A Renault Sport foi oficialmente fundada em 1976, tendo como missão desenvolver um programa de competições para monopostos. A Renault fez uma aposta impensável na época: bater as melhores equipes do mundo na Fórmula 1 com um motor turbo. Sua utilização já era autorizada há vários anos pelo regulamento técnico da categoria, mas ninguém havia ousado dar o primeiro passo. Contando com sua experiência na tecnologia do motor turbo, a fabricante de motores francesa lançou a partir de 1976 os primeiros testes em pista, com uma versão 1,5 litro de seu V6 turbo. Em 1977, a Renault iniciou seu envolvimento na Fórmula 1 como escuderia.

Em paralelo, Didier Pironi e Jean-Pierre Jaussaud conquistaram as 24 Horas de Le Mans de 1978, graças ao Alpine-Renault A442B propulsionado pelo motor V6 turbo da Renault.

A história seguia seu curso e a Renault conquistou sua primeira vitória na Fórmula 1 em 1979, durante o Grande Prêmio da França. No início dos anos 80, a Renault venceu 15 vezes e terminou em segundo na classificação dos Construtores em 1983 (Alain Prost foi vice-campeão na mesma temporada), antes de se retirar da competição ao final da temporada de 1985. Após esta primeira experiência na Fórmula 1, a Renault confirmou suas apostas com o motor turbo, no qual ninguém havia acreditado na época. Progressivamente, todas as outras escuderias se equiparam com motores turbos até sua proibição, no final da temporada de 1988.

Em 1989, a Renault voltou à Fórmula 1, mas desta vez como fabricante de motores para as escuderias Williams e Benetton. Entre 1992 e 1997, os motores V10 atmosféricos Renault monopolizaram os pódios da Fórmula 1, com 85 vitórias em grande prêmio, seis títulos de Construtores e cinco títulos de Pilotos, conquistados por Nigel Mansell, Alain Prost, Michael Schumacher, Damon Hill e Jacques Villeneuve.

A Renault voltou à Fórmula 1 em 2001, adquirindo a escuderia Benetton antes de mudar oficialmente seu nome para “Equipe Renault de F1”, em 2002. A ascensão da nova escuderia coincide com a de Fernando Alonso. Juntos, eles conquistariam a dobradinha Pilotos / Construtores em 2005 e 2006.

Participando novamente como fabricante de motores, a Renault permite que a Red Bull Racing conquiste o título de Construtores em quatro temporadas consecutivas (2010-2013) e que Sebastian Vettel se torne o mais jovem tetracampeão do mundo da história.


A RENAULT DETÉM UMA LISTA DE PREMIAÇÕES IMBATÍVEL NA FÓRMULA 1.
EM 38 ANOS DE PARTICIPAÇÃO NA CATEGORIA, A MARCA RIVALIZA COM OS MELHORES ESPECIALISTAS DA CATEGORIA:

12 TÍTULOS DE CONSTRUTORES
11 TÍTULOS DE PILOTOS
165 VITÓRIAS EM GRANDES PRÊMIOS
213 RECORDES EM NÚMERO DE POLE POSITIONS

Sempre buscando novos desafios, a Renault se lança na Fórmula E a partir do início da competição 100% elétrica da FIA. Estreitamente ligada à escuderia Renault e.dams, a montadora contribuiu plenamente para a conquista do primeiríssimo título de Equipes da história da categoria. Com a iminência da segunda temporada de Fórmula E, a escuderia de Alain Prost e Jean-Paul Driot se beneficia ainda mais da expertise da Renault Sport, pois a cadeia de tração elétrica dos carros Spark-Renault SRT_01E foi desenvolvida em Viry-Châtillon.

MICHAEL VAN DER SANDE
DIRETOR DE MARKETING DO GRUPO RENAULT

O automobilismo esportivo é um componente essencial do DNA da Renault. É natural que a Renault seja um grande player deste novo campeonato 100% elétrico, considerando sua lista de premiações única no automobilismo esportivo e sua expertise em veículos elétricos. Após ter conquistado o primeiro título de Equipes da história da Fórmula E, estamos convencidos de que nosso envolvimento nesta temporada será um verdadeiro acelerador de desenvolvimento para nossos veículos elétricos de produção em série.


• RENAULT E.DAMS

HISTÓRICO

A Renault e.dams é o braço elétrico da célebre escuderia DAMS, que se consagrou inúmeras vezes desde sua criação em 1988, por Jean-Paul Driot. Com o decorrer dos anos, a estrutura baseada em Le Mans conquistou uma fantástica lista de premiações e se destacou como uma das equipes de maior prestígio na Europa. Campeã do título de Equipes na F3000 a partir da temporada de 1989, a escuderia DAMS já conquistou nove outros campeonatos desde então.

A escuderia compete com sucesso nas GP2 Series, oficialmente o único degrau a ser galgado antes da F1 e sucessora da F3000, desde seu lançamento em 2005, levando Romain Grosjean (2011), Davide Valsecchi (2012) e Jolyon Palmer (2014) ao título de Pilotos. A DAMS também participa da Fórmula Renault 3.5 há quatro anos, tendo já conquistado duas dobradinhas de Pilotos e Equipes com Kevin Magnussen (2013) e Carlos Sainz (2014). Em 2016, a estrutura que tem sede em Le Mans se apoiou em seus vários sucessos para escrever um novo capítulo de sua história, ingressando no disputadíssimo campeonato GP3 Series.

Além de suas façanhas em categorias monoposto, a DAMS também tem uma grande experiência em Endurance, gerenciando os programas de fábrica das americanas General Motors e Panoz nas 24 Horas de Le Mans. A equipe conquistou dois títulos consecutivos na Fórmula Le Mans Cup (2009/2010).

Quando o novo Campeonato FIA de Fórmula E foi anunciado para 2014, Driot se associou rapidamente a Prost, tetracampeão do mundo de F1 e embaixador da Renault. Os dois parceiros criaram a Renault e.dams para participar da temporada inaugural desta competição 100% elétrica, tendo Nicolas Prost e Sébastien Buemi como pilotos. Assim como na Fórmula E, a equipe logo teve sucesso. Com quatro vitórias, cinco pole positions e duas melhores voltas da corrida, a Renault e.dams se consagrou entre as Equipes a partir de sua primeira tentativa. Agora, ela volta à temporada 2015/2016 com o apoio tecnológico da Renault, a mesma dupla de pilotos e a ambição de conquistar a dobradinha no campeonato.


PREMIAÇÕES DA RENAULT E.DAMS
- 1 CAMPEONATO DE EQUIPES NA FÓRMULA E DA FIA (2014/2015E)
- 4 CORRIDAS VENCIDAS NA FÓRMULA E DA FIA

PREMIAÇÕES DA ESCUDERIA DAMS
- 3 CAMPEONATOS DE PILOTOS NA GP2 SERIES, COM ROMAIN GROSJEAN (2011), DAVIDE VALSECCHI (2012), E JOLYON PALMER (2014)
- 2 CAMPEONATOS DE EQUIPES NA GP2 SERIES (2012, 2014)
- 22 CORRIDAS VENCIDAS NA GP2 SERIES
- 2 CAMPEONATOS DE PILOTOS NA FÓRMULA RENAULT 3.5, COM KEVIN MAGNUSSEN (2013) E CARLOS SAINZ (2014)
- 2 CAMPEONATOS DE EQUIPES NA FÓRMULA RENAULT 3.5 (2013, 2014)
- 15 CORRIDAS VENCIDAS NA FÓRMULA RENAULT 3.5
- 3 CAMPEONATOS DE PILOTOS DA FIA F3000 (1990, 1993, 1994)
- 4 CAMPEONATOS DE EQUIPES DA FIA F3000 (1989, 1990, 1993, 1994)
- 21 CORRIDAS VENCIDAS NO CAMPEONATO FIA F3000

Releases Relacionados