Segunda, 16 de novembro de 2020.

Signatech Alpine Elf conclui uma aventura brilhante no Bahrein

•       A Equipe Signatech Alpine Elf terminou em quinto  lugar na categoria LMP2 no final da temporada 2019-2020 do Campeonato Mundial FIA WEC.

•       Apesar de um problema de consumo, André Negrão, Pierre Ragues e Thomas Laurent optaram por uma estratégia agressiva para brigar pela vitória até os últimos 15 minutos da corrida.

•       A Alpine se concentra agora em 2021, ano que já está marcado pelo retorno da marca criada por Jean Rédelé à categoria máxima do automobilismo de endurance.

 

A escuderia Signatech Alpine Elf já estava trabalhando duro desde a segunda-feira para sua última participação na categoria LMP2. Após dois dias e meio de revisão e preparação, o Alpine A470 entrava em cena na quinta-feira para os primeiros testes.

Enquanto isso, a equipe comandada por Philippe Sinault colocou Pierre Ragues e Thomas Laurent a cargo dos treinos classificatórios. O trabalho da dupla de franceses levou ao quinto lugar no grid e o terceiro na cronometragem da categoria LMP2.

Com o sol a pino, André Negrão assumiu o volante para fazer sua costumeira largada de excelência. O brasileiro subiu uma posição graças a uma incrível ultrapassagem por fora do carro número 37 de Jackie Chan, ficando logo em seguida colado na traseira do líder da categoria.

André Negrão ficou preso no pelotão na saída dos boxes após sua primeira parada, mas não cedeu apesar de ter perdido tempo, mantendo a ofensiva até passar o bastão a Pierre Ragues.

O francês da região da Normandia estava fazendo um trabalho incrível até a equipe detectar um problema de consumo de combustível, impedindo seguir o número previsto de voltas por revezamento. Longe de se deixar abater, a escuderia ajustou sua estratégia, colocando Thomas Laurent no ataque e permitindo que o Alpine de número 36 recuperasse a diferença perdida. Pierre Ragues voltou à ação, seguido por André Negrão, para um revezamento marcado pela atuação do carro de segurança.

Em um pelotão apertado na metade da corrida, enquanto o entardecer chegava ao país das mil e uma noites, a equipe Signatech Alpine Elf optou por uma parada no reinício da prova, para tentar uma manobra de ‘undercut’. A estratégia fez com que o brasileiro, seguido por Thomas Laurent e Pierre Ragues, se revezasse para brigar pela vitória na categoria, com o Alpine A470 de nº 36 assumindo a liderança da categoria.

Assim que assumiu a liderança, a equipe esperava contar com um evento de corrida para manter o primeiro lugar até a chegada. Apesar do trabalho perfeito por parte dos mecânicos e pilotos, a estratégia não rendeu frutos e o trio teve que fazer uma última parada-relâmpago faltando 15 minutos para o final da prova.

Thomas Laurent passou pela bandeira quadriculada na quinta posição, garantindo o quinto lugar para a equipe no campeonato. Apesar deste resultado frustrante, a Signatech Alpine Elf está deixando a categoria LMP2 com a cabeça erguida, com três vitórias nas 24 Horas de Le Mans, além de sete pole positions, oito troféus, vinte e quatro pódios e dois títulos mundiais em apenas cinco temporadas no campeonato FIA WEC.

A equipe Signatech Alpine Elf vai agora aproveitar a parada de fim de ano para preparar sua futura participação na categoria LMP1 e voltar para a categoria máxima do automobilismo de endurance sob o nome Alpine Endurance Team em Sebring (Estados Unidos), de 13 a 19 de março de 2021.

Philippe Sinault, Diretor da Equipe Signatech Alpine Elf:

“Esta corrida foi um retrato da temporada, pois nos deixou com certa frustração. Teria sido incrível completar nossa história de sucesso com um pódio ou uma vitória na última prova da nossa aventura na categoria LMP2. Tal resultado estava ao nosso alcance, desde nossas primeiras voltas de pista em Bahrein. Conseguimos rapidamente encontrar o equilíbrio ideal exigido por este circuito em termos de performance e deterioração dos pneus e nós demonstramos isso com nossas boas posições nos treinos classificatórios. O André fez aquela largada que só ele sabe fazer, permitindo que nossa equipe ficasse próxima dos líderes da prova. O Pierre também fez um trabalho sólido, brigando com pilotos que são referência na Endurance, enquanto que o Thomas conseguiu recuperar a diferença em relação ao líder da prova, apresentando uma velocidade de ponta excepcional. Infelizmente, um problema de consumo nos obrigou a fazer menos voltas por revezamento do que previsto. Não conseguimos gerenciar isso durante a corrida, por isso optamos por uma estratégia mais agressiva durante a atuação do carro de segurança. Isso nos permitiu assumir a liderança, mas ficamos expostos na ausência de outra neutralização e tivemos que fazer um ‘splash-and-dash’ faltando quinze minutos para o término da prova. Mesmo assim, não nos arrependemos de nada, pois demonstramos toda nossa combatividade até as últimas voltas. Esta corrida simboliza o fechamento de um ano complicado, durante o qual apresentamos um excelente nível de performance apesar de uma evidente falta de sucesso. Assim, concluímos um capítulo maravilhoso de nossa história, no qual vamos nos apoiar para enfrentar o formidável desafio que nos espera em 2021!”

André Negrão:

“Nosso ritmo foi tão bom quanto o dos nossos concorrentes, mas tivemos um problema com nosso circuito de combustível, o que nos fez consumir mais do que previsto e, logicamente, mais do que nossos rivais. Apesar disso, fizemos de tudo para realizar uma bela prova para esta última atuação da Alpine na LMP2. Foi uma temporada estranha em vários aspectos e nosso quinto lugar no campeonato não corresponde nem aos nossos objetivos e nem ao nosso potencial, mas foi um grande prazer fazer parte desta equipe formidável que é a Signatech Alpine Elf.”

Pierre Ragues:

“Considerando o domínio da equipe na LMP2 nestes últimos anos, todos nós queríamos fechar este capítulo com chave de ouro. Infelizmente, esta final foi um retrato da temporada, pois nos faltou um pouco de sorte para transformar nossa excelente velocidade de ponta e nossa estratégia agressiva em um resultado sólido. Isso aconteceu em uma circunstância que jamais foi vista durante a corrida, mas ninguém se arrepende de ter assumido riscos, pois todos nós queríamos terminar de forma positiva. Apesar da frustração, vamos guardar na memória nossas belas performances em 2020, após um início de temporada complicado e, por isso, quero agradecer a toda equipe Signatech Alpine Elf por todas nossas fantásticas aventuras em conjunto.”

Thomas Laurent:

“Apesar de um resultado final decepcionante, terminamos bem o ano, pois nosso nível de performance foi excelente.  Poderíamos ter feito muito mais do que a classificação reflete. O carro estava à altura da competição e tive um enorme prazer em estar ao volante – e isso pode ser visto nas tomadas de tempo. O Pierre fez um trabalho incrível, assim como o André, durante toda a corrida. A equipe também se superou nos boxes e nós pudemos brigar pelas primeiras posições, mesmo se a sorte não estava do nosso lado, infelizmente. Mesmo assim, quero focar nos pontos positivos e aprendi muito com a equipe durante esta longa temporada.”

 

Classificações - 8 Horas do Bahrein – categoria LMP2

1. Jackie Chan DC Racing n° 37 247 voltas

2. JOTA n° 38 +1’’894

3. Racing Team Nederland n° 29 +16’’718

4. United Autosports n° 22 +28’’191

5. Signatech Alpine Elf n° 36 + 1 minuto

6. Cetilar Racing n° 47 + 16 voltas
 

Troféu FIA LMP2 Equipes

1. United Autosports n° 22 – 190 pontos

2. JOTA n° 38 – 152 pontos

3. Jackie Chan DC Racing n° 37 – 136 pontos

4. Racing Team Nederland n° 29 – 130 pontos

5. Signatech Alpine Elf n° 36 – 109 pontos

6. Cool Racing n° 42 – 103 pontos

7. Cetilar Racing n° 33 – 72 pontos

8. High Class Racing n° 33 – 47 pontos

Releases Relacionados